Rio Montreux Jazz Festival
19/04/2019
40 atrações entre os dias 6 e 9 de junho

Stanley Clarke, Hermeto Pascoal, Al Di Meola, Yamandu Costa, Andreas Kisser,

John Scofield, Quarteto Tom Jobim com Maria Rita são alguns dos nomes confirmados


O Rio de Janeiro será palco de um dos mais icônicos eventos musicais do mundo. O Montreux Jazz Festival, criado em 1967, na cidade que leva o mesmo nome, vai acontecer pela primeira vez na América Latina, seguindo os mesmos moldes da programação variada que acontece na Suíça. O Rio de Janeiro, reconhecido globalmente como uma cidade que vibra cultura, foi escolhido para essa estreia.

A programação do Rio Montreux Jazz Festival vai ocupar diferentes pontos da capital fluminense, com o melhor da música e cultura em atrações pagas e gratuitas. O objetivo é estimular o acesso à atmosfera vibrante e criativa da arte que tornaram o Festival conhecido mundialmente.

No Pier Mauá, o Rio Montreux Jazz Festival ocupará 3 palcos – nomeados em homenagem a grandes estrelas da música brasileira: Ary Barroso, Tom Jobim e Villa-Lobos -, com capacidade para receber até seis mil pessoas, por dia de evento. Além dos shows, o público terá área de convivência com bares e food trucks.

A cada ano, o festival lança o pôster da edição, criado especialmente por um artista. O pôster da primeira edição do Rio Montreux Jazz Festival tem a assinatura do premiado publicitário Marcello Serpa. O Pier também irá sediar uma exposição com os pôsteres de edições passadas do evento.

Os ingressos do Rio Montreux Jazz Festival começaram a ser vendidos no dia 16 de abril.

Além da programação de shows no Pier Mauá, a boa música vai ocupar a cidade em outros 5 palcos gratuitos. No Parque Madureira estará o Palco Pixinguinha, com área para receber um público de até 5 mil pessoas. Em outros quatro pontos da cidade estarão os palcos Montreux Urbano. A iniciativa quer estimular o acesso à cultura e incentivo às novas revelações da música brasileira.

Rio Montreux Jazz Festival é apresentado por Mastercard, através da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, e pela Claro. O evento tem apoio do Fairmont Rio de Janeiro Copacabana. A produção geral tem assinatura da Dream Factory, Gael e MZA Music.

"A realização do Rio Montreux Jazz Festival é um enorme reconhecimento para a importância do Brasil no roteiro mundial dos eventos musicais. Teremos os grandes nomes da música brasileira e internacional, junto com as grandes promessas e novas descobertas, em apresentações históricas nesse cenário único que é o Rio de Janeiro", indica Gaetano Lops, sócio da Gael.

"Rio Montreux Jazz Festival reforça todo o potencial da cidade na promoção de grandes eventos e na acessibilidade para a cultura. Esse festival vai entrar para o calendário, junto a outros eventos como a Árvore da Lagoa e o Carnaval de Rua. Importante reforçar o impacto econômico positivo, incluindo a geração de empregos e a vinda de turistas de todas as regiões", comenta Cláudio Romano, CEO da Dream Factory.

Programação Rio Montreux Jazz Festival 2019

Pier Mauá

Palco Tom Jobim – capacidade de 780 pessoas sentadas (Armazém 2)

Palco Villa-Lobos – capacidade de 3.500 pessoas em pé (Armazém 3)

Palco Ary Barroso – localizado na varanda do Pier

Demais regiões – Palcos gratuitos

Palco Pixinguinha – localizado no Parque Madureira

Palcos Montreux Urbano – em quatro diferentes pontos da cidade

 

Shows já confirmados

6 de junho – quinta-feira

Palco ARY BARROSO

18h30 – Amaro Freitas

21h – Diego Figueiredo

Palco TOM JOBIM

19h30 - Quarteto Jobim convida Maria Rita - "Chega de saudade: 25 anos sem Tom Jobim"

22h – Al Di Meola Opus & More 2019

Palco VILLA-LOBOS

23h30 – Steve Vai

Palco PIXINGUINHA (Horários a confirmar)

Atração a confirmar

Marcelo Caldi convida Gabriel Grossi - Homenagem a Luiz Gonzaga

 

7 de junho – sexta-feira

Palco ARY BARROSO

18h30 – Choro na Rua

21h – Pedro Martins Trio

Palco TOM JOBIM

19h30 - Yamandu Costa. Participação especial: Camerata Jovem do Rio de Janeiro

22h – The Stanley Clarke Band

Palco VILLA-LOBOS

23h30 – Frejat convida Pitty e Zeca Baleiro

Palco PIXINGUINHA (Horários a confirmar)

Atração a confirmar

Bianca Gismonti Trio convida Frank Colón - Homenagem a Egberto Gismonti

 

8 de junho – sábado

Palco ARY BARROSO

18h30 – Ricardo Herz Trio

21h – Andreas Kisser and guests: "Instrumental Acoustic Metal"

Palco TOM JOBIM

19h30 – Hamilton de Holanda convida Paulinho Costa

22h – Hermeto Pascoal

Palco VILLA-LOBOS

23h30 – Atração Internacional a confirmar

Palco PIXINGUINHA (Horários a confirmar)

Atração a confirmar

André Vasconcellos Quinteto

 

9 de junho – domingo

Palco ARY BARROSO

18h30 – Allyrio de Mello

21h – A Guitarra e o Tambor

Palco TOM JOBIM

19h30 – Carlos Malta e Pife Muderno

22h – John Scofield Combo 66

Palco VILLA-LOBOS

23h30 – Brasil Cuba: Ivan Lins, Chucho Valdés e Irakere

Palco PIXINGUINHA (Horários a confirmar)

Atração a confirmar

Dani Spielmann e orquestra Gafieirando convidam Bebê Kramer - Homenagem a Paulo Moura

 

Sobre o Montreux Jazz Festival

Criado em 1967, o Festival acontece na cidade suíça de Montreux, com 25 mil habitantes, vista para os Alpes e às margens do lago Leman. Por ano, recebe cerca de 250 mil pessoas para acompanhar os shows e programações culturais que acontecem durante as duas semanas de festa.

Nos seus mais de 50 anos de história, o Montreux Jazz Festival se diversificou e passou a incorporar novos ritmos, gêneros e linguagens artísticas. Em seus palcos se apresentaram grandes nomes da música mundial como: Nina Simone, Ray Charles, Miles Davis, Adele, Stevie Wonder, Prince, Pharrell Williams, David Bowie, Phil Collins, entre outros.

Em 1978, aconteceu a primeira participação de artistas brasileiros no Montreux Jazz Festivalgraças ao incentivo do produtor musical Marco Mazzola, que intermediou essa aproximação com Claude Nobs, idealizador do Festival. O primeiro nome da música nacional a se apresentar em Montreux foi Gilberto Gil, que tocou em uma noite brasileira, que ainda teve nomes como a banda A Cor do Som e Silvinho. Desde então, a participação de ícones da música brasileira no Festival se tornou constante. O público assistiu shows memoráveis de Elis Regina, Hermeto Pascoal, Chico Buarque, Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Gal Costa e outros nomes da música nacional.